Parati: charmosa, elegante e cheia de histórias de aventuras

A bela cidade de Paraty é considerada Patrimônio Histórico Nacional e preserva até os dias atuais as características da arquitetura colonial. As ruas são repletas de pedras, os famosos “pés-de-moleque” e a cidade encanta tanto durante o dia quanto à noite.

Considerada como Patrimônio Histórico Nacional, a bela cidade de Paraty preserva até os dias atuais as características da arquitetura colonial. As ruas são repletas de pedras, os famosos “pés-de-moleque”, encantando a todos que conhecem a cidade, tanto durante o dia quanto à noite.

Passear pelas ruas da cidade é retornar no tempo, pois ela deixa prevalecer os casarões antigos. Há divergências quanto à data de origem de Paraty, entre 1540 e 1560, outros historiadores acreditam que tenha sido bem depois, por volta de 1600.

A cidade era o ponto estratégico para o escoamento das riquezas brasileiras para Portugal. A chamada “Trilha do Ouro”, percurso construído pelos escravos entre em meados do século XVII, era o ponto de passagem obrigatório.

Com a decadência do Ciclo do Ouro, Paraty só volta a se tornar um importante centro de comércio com o ciclo cafeeiro, contudo criam-se novas rotas no Vale do Paraíba e isso prejudica a economia da cidade. Com a abolição em 1888 muitos abandonaram Paraty, o que deixou a cidade isolada por muito tempo, voltando a revigorar-se somente depois da construção da rodovia Rio-Santos.

A cidade serviu de inspiração para muitos cineastas e foi palco de 26 filmes de longa e 9 de curta metragem. Também já foi cenário para 20 novelas, além de várias mini-séries e casos especiais para a televisão, para vários videoclipes e centenas de reportagens de turismo, moda, filmes e peças publicitárias. O local também é ótimo para caminhadas e mergulho.

Pontos Turísticos

Paraty reserva tantos pontos turísticos que seria interessante passar uma semana inteira apreciando tudo o que a cidade reserva para visitantes e turistas. Vale conhecer:

•         Sobrado dos Bonecos e Passos da Paixão

•         Igreja de Santa Rita de Cássia

•         Mercado do Peixe

•         Igreja de Nossa Senhora das Dores

•         Praça do Imperador

•         Igreja Matriz de Nossa Senhora dos Remédios

•         Sobrados coloniais

•         Santa Casa de Misericórdia de Parati

•         Forte Defensor Perpétuo e Casa da Pólvora

•         Capela da Generosa

•         Igreja de Nossa Senhora do Rosário e prefeitura

•         Oratório de Santa Cruz das Almas

•         Engenho da Muricana

•         Engenho da Boa Vista

•         Engenho do Bom Retiro

•         Aldeias guaranis de Araponga e Paratimirim 

Rodeada por Parques e Reservas Ecológicas, recebe o título de uma das mais preservadas regiões do Brasil. Paraty possui mais de 60 ilhas e 90 praias, sendo que boa parte delas acessível somente de barco ou trilhas. As praias de Trindade são uma atração à parte, sendo parte integrante do Parque Nacional da Serra da Bocaina.

Nos esportes de aventuras, são dezenas de trilhas tanto para off-road como trekking, além das modalidades – canoagem oceânica, vela, surf,  mergulho autônomo e voo-livre.

Estação Ecológica de Bananal

A Estação Ecológica de Bananal, fica aproximadamente a 25 km do centro histórico, é uma área de 884 hectares que abriga remanescentes da mata atlântica, além mais de 200 espécies de animais ameaçados de extinção: o sagüi-da-serra-escuro, a onça parda, o cachorro-do-mato e aves como o gavião-pega-macaco, o gavião-pomba, a aratinga, o jacu e o inhambu-açu. A importância deste ecossistema – que originalmente cobria todo litoral brasileiro – fez com que a UNESCO declarasse as áreas em que ele ainda ocorre como Patrimônio da Humanidade.

A altitude varia de 1200 a 1950 metros e o índice de pluviosidade é alto na região. A Estação abriga várias cachoeiras de fácil acesso através das trilhas que devem ser realizadas com a autorização de estada no local e com um monitor.

O contato com a natureza, a variedade da fauna e da flora transforma a visita em um ótimo passeio com a família, já que além dessa proximidade com o meio ambiente o turista pode ainda conhecer um pouco sobre história do Brasil, pois uma das estradas que faz limite com a Estação é a histórica Trilha do Ouro, construída por escravos para o transporte de mercadorias entre as minas do interior e o litoral.

Cunha

A cidade de Cunha está localizada no alto da Serra do Mar, entre as cidades de Guaratinguetá, no Vale do Paraíba, e Paraty, já no litoral sul do Estado do Rio de Janeiro. Com altitude média entre 990 e 1600 metros, a região apresenta clima ameno. Privilegiada com cachoeiras, ribeirões, montes, nascentes, trilhas, pescarias, a vida no campo torna tentadora. O ar puro, seco, ameno e agradável é saudável.

A cidade preserva muitas características de seu passado histórico e mantém vivas suas tradições, suas festas religiosas e costumes de seu povo, que resiste à urbanização. Entre outras atrações, Cunha tem trutas de águas puras e cristalinas das montanhas, cogumelos e frutas de clima ideal, excelente artesania em doces caseiros, chocolates, laticínios e defumados. O município abrange parte do Parque Nacional da Serra da Bocaina e o Parque Estadual da Serra do Mar, onde a quantidade de pássaros impressiona para aqueles que colocam os ouvidos mais atentos durante as caminhadas.

Destaque: Centro histórico de Paraty e as cachoeiras da Estação Ecológica

Dica: Assim como toda trilha é indispensável a máquina fotográfica para registrar esses momentos de aventura. Vale ressaltar que se trata de locais cujo o conteúdo histórico é muito importante para a história do país, então, para aqueles que gostam de saber sobre a origem dos locais onde realizam as trilhas, um tempinho extra é indispensável para ampliar o conhecimento.

Mapa