Minha travessia da Serra dos Órgãos

Autora: Cynthia Howlett
Data: 25/7/2001

Antes de mais nada, eu preciso avisar que a Travessia da Serra dos Órgãos não é brincadeira. É preciso muito preparo físico, muita disposição e principalmente um grande espírito aventureiro. A travessia leva aproximadamente três dias, sai de Petrópolis e chega em Teresóplois, no Estado do Rio de Janeiro. São 42 longos quilômetros de caminhada com muita subida, mochilas pesadas, e duas noites de acampamento.

O primeiro dia foi terrível para mim, pois foram 9 quilômetros de pura subida e tendo de se acostumar com o peso da mochila, que devido ao acampamento não estava nada leve... Logo no início fizemos um rapel de 30 metros na cachoeira Véu da Noiva, em Petrópolis e partimos rumo ao topo. Depois de subir o dia todo, chegamos ao ponto de acampamento, a Pedra do Açu, já de noite.

O frio chegou rápido, com a temperatura em torno dos 5ºC! Foi o tempo de armar o acampamento, comer uma sopa quentinha e se proteger dentro da barraca . A noite foi gelada!!!

No dia seguinte, partimos para mais uma longa caminhada, mais 33 quilômetros de subidas e descidas, onde pudemos contemplar a vista da Baía de Guanabara e de toda Cidade Maravilhosa. Foi, com certeza, nossa recompensa.

Passamos pelas melhores vias de escalada do Brasil, junto ao Dedo de Deus. A última etapa da caminhada foi escalar a Pedra do Sino e dormir mais uma noite por lá. Assim que clareou o dia, descemos em direção a cidade de Teresópolis. Depois de muito esforço conseguimos cumprir nosso objetivo, uffff...

Para quem ainda não conhece a esta famosa travessia, chamada de Peterê, é muito importante saber que fazê-la com um guia especializado é fundamental. Para quem estiver a fim, a mochila vai pesada sim, mesmo levando comidas leves e quentes. Os tênis ou botas tem indispensavelmente de ser confortáveis, levar um bom isolante térmico e roupas bem quentes. No caminho, há água potável, o que não precisa se tornar mais um peso na mochila na mochila, pois, na medida que vamos andando, vamos colteando.

Sem dúvida, um lugar muito estimulante, pois muitos esportes de aventura podem ser praticados lá, dentre eles o próprio trekking, escalada em rocha e descida de rapel. Vale a pena conferir na TV, no programa Pé no Chão, na Sportv, as dicas que eu passo a vocês.

Pé no Chão, na Sportv

Quarta 19h30
Quinta 13h
Sexta 16h
Sábado 15h
Quarta 3h30 (manhã deste dia)

Nesta coluna:

Mande uma mensagem para a autora: Cynthia Howlett

Todas as colunas

 

Nota do editor: o texto desta coluna não reflete necessariamente a opinião do site 360 Graus, sendo de única e exclusiva responsabilidade de seu autor.





© Copyright 1998 - 2012 - 360 GRAUS MULTIMÍDIA
Proibida a reprodução integral ou parcial, para uso comercial, editorial ou republicação na Internet, sem autorização mesmo que citada a fonte.

Compartilhe:


Livros:

Equipamentos:

  • Parati: charmosa, elegante e cheia de histórias de aventuras
    Lugares
    Parati: charmosa, elegante e cheia de histórias de aventuras
  • Parque Nacional de Monte Roraima
    Parques
    Parque Nacional de Monte Roraima
  • Rota dos Sonhos: trilhas, cultura e muita aventura
    Lugares
    Rota dos Sonhos: trilhas, cultura e muita aventura
  • Parque Nacional Marinho dos Abrolhos
    Parques
    Parque Nacional Marinho dos Abrolhos
  • Parque da Restinga de Jurubatiba. Equilíbrio Biológico Global
    Ecoturismo
    Parque da Restinga de Jurubatiba. Equilíbrio Biológico Global
  • Penedo: conheça a bela 'pequena Finlândia' do Brasil
    Ecoturismo
    Penedo: conheça a bela 'pequena Finlândia' do Brasil