Conheça um pouco da história do balão de ar quente

Tema:Balonismo
Autor: Mariana Postali
Data: 14/4/2006

Literalmente, o céu era o limite para o ser humano. A prática de esportes aéreos vem crescendo e ganhando adeptos pelo mundo inteiro. E não é diferente com o balonismo, que existe há mais de 2 mil anos. Aliás, seria justo que o homem ficasse andando enquanto um pássaro pode voar?

Em 1709, o Padre brasileiro Bartolomeu de Gusmão, com apenas 23 anos, apresentou à Corte do Rei D. João V. de Portugal um balão que subiu cerca de quatro metros, mas se incendiou. Na verdade, ele conseguiu provar que algo mais pesado que o ar poderia planar. Na sua segunda tentativa, o balão conseguiu subir quatro metros, quando foi destruído pelos guardas, com medo de que o padre provocasse outro acidente. Acusado de feitiçaria, o inventor foi perseguido e sua experiência ignorada.

Somente em junho de 1783 aconteceu o verdadeiro nascimento das atividades aéreas com o vôo do balão tripulado dos irmãos franceses fabricantes de papel, Joseph e Etienne Montgolfier, que chegou a atingir cerca de 2 mil metros de altura.

Poucos dias depois, em dezembro de 1783, foi realizado novo vôo tripulado, o primeiro de um balão a gás. O Professor Jacques A. Charles, da Academia Francesa, saiu do jardim das Tulherias com Nicolas Robert, um passageiro. Eles voaram duas horas e meia, a uma altura de 250 metros. Depois, Charles deixou seu passageiro em terra e subiu novamente, atingindo uma altura de cerca de 2700 metros.

O balão do professor Charles mostrou-se bastante superior ao dos irmãos Montgolfier e, com isso, os balões de ar quente ficaram praticamente esquecidos durante dois séculos até que, em 1953, Ed Yost reinventou o balão de ar quente, aquecido por um maçarico alimentado por gás propano. Nasce então o balonismo moderno, que se espalha desta vez em forma de esporte. Em 1963 é levado à Europa um balão de 1600 metros cúbicos, que faz a travessia do Canal da Mancha.

Em 1966 foram construídos os primeiros balões na Inglaterra. Em 1968 surgiu a primeira fábrica (Omega) que, em 1970, dividiu-se em duas empresas. Em 1973 foi realizado o Primeiro Campeonato Mundial e, a partir daí, o crescimento do balonismo foi geométrico.

O Brasil, que afinal fora o pioneiro com Bartolomeu de Gusmão, teve seu renascimento com Victório Truffi, que construiu um balão com a ajuda de um americano, Robert Rechs. Em 25 de outubro de 1970, fizeram o primeiro vôo na América do Sul em balão a ar quente moderno, em Araraquara (SP).

Em julho de 1986, com a realização do Primeiro Encontro Brasileiro de Balonismo em Casa Branca (SP), iniciou-se a organização da atividade no país, culminando com a fundação da Associação Brasileira de Balonismo, em dezembro do mesmo ano. Atualmente existem cerca de 60 balonistas no Brasil, a maioria deles em São Paulo.

Nesta reportagem:

» Conheça um pouco da história do balão de ar quente
» Classe HPE25 levará 20 embarcações para a raia na 33ª Semana de Vela





© Copyright 1998 - 2012 - 360 GRAUS MULTIMÍDIA
Proibida a reprodução integral ou parcial, para uso comercial, editorial ou republicação na Internet, sem autorização mesmo que citada a fonte.

Compartilhe:


Livros:

Equipamentos:

  • Parati: charmosa, elegante e cheia de histórias de aventuras
    Lugares
    Parati: charmosa, elegante e cheia de histórias de aventuras
  • Parque Nacional de Monte Roraima
    Parques
    Parque Nacional de Monte Roraima
  • Rota dos Sonhos: trilhas, cultura e muita aventura
    Lugares
    Rota dos Sonhos: trilhas, cultura e muita aventura
  • Parque Nacional Marinho dos Abrolhos
    Parques
    Parque Nacional Marinho dos Abrolhos
  • Parque da Restinga de Jurubatiba. Equilíbrio Biológico Global
    Ecoturismo
    Parque da Restinga de Jurubatiba. Equilíbrio Biológico Global
  • Penedo: conheça a bela 'pequena Finlândia' do Brasil
    Ecoturismo
    Penedo: conheça a bela 'pequena Finlândia' do Brasil